Transporte de Cargas: Quase 500 cidades no país têm restrições a caminhões

Restrições para a circulação de caminhões afetam hoje pelo menos 491 cidades brasileiras. Essas medidas, conforme o setor de transporte de cargas, pressionam os custos da atividade em até 15,4% – normalmente repassados aos clientes por meio de taxa sobre o valor do frete.

A lista de municípios com restrições, compilada pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC & Logística), abarca 169 cidades da região Sudeste – 86 delas no estado de São Paulo. Minas Gerais (51), Paraná (46) e Rio Grande de Sul (44) também têm limitações vigorando em um número elevado de municípios. No Rio de Janeiro, são 23 as cidades nessa situação.

Conforme boletim publicado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), as principais medidas restritivas são “implementadas em relação à circulação, às operações de carga e descarga e às regras de estacionamento”. Muitas delas estariam vinculadas às características de veículos (como tipo, peso, quantidade de eixos e dimensão) e das cargas (como periculosidade), além de dias e horários quando a janela para atividades logísticas fica reduzida.

“Deve-se realizar obras de manutenção e de expansão da infraestrutura urbana, com destaque aos anéis viários, possibilitando aos transportadores rotas alternativas em áreas metropolitanas”, sugeriu a CNT em relação ao tema.

A entidade também alegou “falta de coordenação” entre os municípios e pleiteou a ampliação da oferta de vagas de carga e descarga e a extensão do período permitido para a realização das entregas e coletas. Por outro lado, apesar dos problemas para transportadores, a própria CNT reconhece que as restrições “contribuem com a redução de congestionamentos e do nível de poluição nos centros das cidades.”

Fonte: https://bit.ly/2x2VRoW

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *