5 coisas que você precisa saber sobre logística reversa

A logística reversa pode ser definida como o processo de planejamento, implementação e controle de custos, fluxos de matérias-primas, trajeto e qualquer outra informação relacionada a um produto, desde o ponto de consumo até o ponto de origem. Isso quer dizer que o produto viaja no sentido inverso da rede de cadeia de abastecimento, daí o nome logística reversa.

A prática está relacionada à manutenção do ciclo de vida do produto comercializado, desde a fase de produção até o descarte adequado (do ponto de vista ambiental), promovendo a sua reutilização ou reciclagem. Essa operação tem como característica gerar meios para a coleta e para a devolução dos resíduos sólidos ao setor empresarial com a proposta de reaproveitar o produto até mesmo em outros ciclos produtivos.

Neste contexto, a logística reversa vem sendo um tema bastante comentado no País, sobretudo após a edição da Lei nº 12.305/2010, que defende um meio ambiente sadio e trata da responsabilidade de fabricantes e vendedores no descarte dos produtos que são colocados no mercado e chegam ao consumidor final.

Para entender melhor do que trata a logística reversa e como ela se adequa à realidade das empresas brasileiras, reunimos 5 pontos importantes sobre o tema. Confira:


1 A logística reversa no  Brasil

A logística reversa, no Brasil, começou a se desenvolver no final da década de 1980, impulsionada por questões ambientais (não somente pelas normas impostas pela legislação, mas também pela necessidade de conscientização ambiental por parte das empresas e órgãos públicos).

Em 2010, foi instituída a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que definiu os princípios, objetivos, instrumentos e diretrizes relativos à gestão e ao gerenciamento de resíduos sólidos em âmbito nacional. Sendo assim, o sistema de logística reversa entra em cena como um exemplo de instrumento previsto pela PNRS para a implementação da responsabilidade compartilhada no ciclo de vida dos produtos.


2 A prática de retorno tem um grande impacto sobre as vendas

Os consumidores têm muitas opções de escolha sobre onde comprar mercadorias. Existem diversos aspectos que contribuem para a sua decisão de compra, e a política de devolução que a empresa oferece tem um peso grande nisso.

De acordo com uma pesquisa realizada em 2017 pela Opinionbox, 42% dos entrevistados afirmaram que se preocupam muito com as práticas sustentáveis de uma empresa ao comprar um produto. Além disso, 54% disseram que dão preferência a empresas ou marcas reconhecidas por cuidar do meio ambiente.

Em paralelo, 65% disseram que o principal motivo que impede uma compra ou a contratação de uma empresa é se ela for conhecida por poluir o meio ambiente. Ou seja, a logística reversa tem tudo para ajudar a aumentar as suas chances de conquistar mais clientes.


3 A prática deve ser absorvida por qualquer empresa

Qualquer empresa que precisa fazer uma gestão pós-venda de produtos necessita da logística reversa. Se o produto estiver com defeito e o cliente devolvê-lo, por exemplo, a empresa deve organizar a coleta e o transporte dessa mercadoria. Para completar o processo, é necessário testar, desmontar e, por fim, reparar, reciclar ou eliminar o produto.


4 Uma boa gestão da logística reversa ajuda a diminuir custos

Considerando a necessidade de apostar em uma política de retorno, conforme falamos no item 2, é inevitável que a empresa acabe destinando uma parte do seu orçamento em processos logísticos, incluindo a logística reversa. A questão é que, se ela for bem implementada e gerida, isso não terá um impacto negativo no seu negócio.

Com o tempo, parte dos gastos pode ser abatida no preço das mercadorias. Junto a isso, os gastos em outras áreas podem diminuir bastante a partir das iniciativas de reciclagem e reaproveitamento das matérias-primas, diminuindo, assim, os custos do início da cadeia de abastecimento e produção. Portanto, a logística reversa só será negativa para uma empresa que não investe em uma boa gestão desse processo.


5 A terceirização da logística reversa otimiza o trabalho

Terceirizar a logística reversa pode ter um impacto altamente positivo para o seu negócio. Ainda que se gaste um pouco mais, ter uma equipe especializada e focada neste trabalho permite que você saia ganhando em eficiência e otimização.

Aqui, também vale a pena investir em um software para gerir a contratação de fretes e transportes. Lembre-se que administrar a logística reversa não é o mesmo que planejar a sua frente logística, uma vez que este processo carrega os seus próprios desafios e dificuldades.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato com a transpoBrasil, pois, certamente, nós temos a melhor solução de logística de acordo com o perfil do seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *