Estudo: investimento em transporte está estagnado no país

O investimento em infraestrutura de transportes está estagnado em 2% do Produto Interno Bruto (PIC) há 20 anos. Essa relação não só é inferior ao investimento necessário para a manutenção de rodovias, portos e aeroportos do país como está muito distante do destinado por outras economias da América Latina. De acordo com estudo do economista Raul Velloso, para alcançar o nível de países com renda semelhante, o Brasil precisaria fazer o investimento em transportes crescer entre 4% e 5% do PIB ao ano durante duas décadas, o que demandaria injetar na infraestrutura de transportes mais R$ 130 bilhões a R$ 200 bilhões anualmente, além do que é investido hoje.

O estudo será apresentado na 30ª edição do Fórum Nacional, que ocorre no Rio nas próximas quinta e sexta-feira. Com o tema “Expandir a infraestrutura é a chave para crescer mais” o evento vai tratar de macroeconomia, crise financeira estadual, atração de capital privado para projetos de infraestrutura de transportes e destravamento dos investimentos públicos no setor, que são os menores em 70 anos, segundo Velloso.

“Precisamos do investimento público, mas, sem ter concessão à iniciativa privada, não conseguiremos transportar o que produzimos, não teremos aumento de produtividade e nosso PIB vai continuar crescendo, no máximo, entre 1% e 2%. Como vou me tornar um campeão do agronegócio se eu não consigo tirar a soja do sul do Piauí, onde é produzida a um custo baixíssimo?”, afirma Velloso.

 

Fonte: https://bit.ly/2Ii11Sb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *