Gestão regional de gastos com fretes auxilia a viabilizar negócios

Um dos empecilhos do avanço econômico do setor de logística está em seus custos. Isso acontece em função da pressão sofrida pelos departamentos logísticos para que os preços sejam reajustados conforme as regiões. Essa questão pode causar prejuízos para as empresas em função da discrepância que há nos custos entre diferentes locais do Brasil. Transportar matéria prima para o nordeste pode, por exemplo, não ser lucrativo para empresas situadas no sul.

 

Viabilizando o serviço sem perder a qualidade

Quando se fala em um plano de ação que possibilite a redução de custos, o primeiro ponto a ser considerado é se essas ações não irão comprometer a qualidade do setor, fundamental para manter a empresa competitiva. Antes de tomar qualquer medida de baixa de preço, é preciso atentar para que alguns quesitos não sejam influenciados. São eles:

  • Primar pelo cumprimento dos prazos de entrega;
  • Adotar sistemas de logística de confiança;
  • Ter flexibilidade para atender solicitações inesperadas;
  • Dispor de seguro contra roubos e avarias da mercadoria;
  • Fornecer ao cliente rastreamento e informações necessárias.

É possível, porém, adequar-se aos preços do mercado sem que haja perda na qualidade. Para que isso ocorra, basta que as adaptações feitas sejam as mais indicadas ao mercado, como:

  • Minimizar o tempo de carga e descarga da mercadoria;
  • Aproveitar da melhor forma possível a capacidade do veículo;
  • Administrar o custo variável por quilômetro rodado;
  • Controlar as despesas indiretas;
  • Aumentar a velocidade média nas estradas por meio de manutenção e investimento nos motores;
  • Evitar que as viagens de retorno sejam vazias;
  • Investir em manutenção preventiva de todos os caminhões.

 

A importância da tecnologia

Todos os quesitos de qualidade citados anteriormente são de extrema importância, no entanto, de nada adianta tentar reduzir os custos por meio de ações diretas na carga sem que haja uma ferramenta que auxilie a gerenciar essas situações. Mais difícil do que negociar as melhores condições de transporte é gerenciar a rotina do segmento, visto que as transportadoras são facilmente passíveis de erro.

Por isso, quando se trabalha com transportes inter-regionais é imprescindível que a empresa tenha condições de gerenciar os volumes a serem enviados para essas regiões respeitando as tabelas negociadas para evitar erros graves de processo de despacho e redespacho, além de auditar os conhecimentos de fretes e faturas enviadas pelas transportadoras.

Apostar no transpoFrete possibilita o gerenciamento específico e variável conforme a região. Isso garante que as cargas sejam transportadas para locais diferentes e distantes sem descumprir os acordos de frete acertados e garantindo maior segurança aos gestores logísticos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *