Como decidir pelo melhor Sistema de Gestão de Fretes

O processo de aquisição de um TMS – Transportation Management System ou Sistema de Gerenciamento de Transportes – é discutido em múltiplos níveis. É importante, portanto, somado ao momento de instabilidade econômica, compreender que o comportamento do comprador de serviços – neste caso, a empresa e seus departamentos – cumpre etapas até firmar sua decisão.

A análise se inicia pelo reconhecimento do problema, ou seja, a real necessidade de aquisição. Depois disso, parte-se para a busca de informações e avaliação das alternativas, comparando as ofertas disponíveis no mercado. Por fim, ocorre a decisão de compra e a avaliação pós-compra, pois se o serviço não cumprir as expectativas geradas inicialmente, certamente oferecerá riscos de descontinuidade.

Sendo assim, a decisão entre um ou outro TMS deve estar sustentada num processo estruturado de seleção, garantindo que os critérios sejam apurados e a solução traga os resultados esperados.

Baseado nisso, listamos 3 fatores importantes no processo de escolha de um sistema de gerenciamento de transporte:

 

  1. Produto Aderente

A implementação bem-sucedida de um software está fundamentada em um conjunto de decisões corretas, entre elas a escolha da ferramenta certa e as funcionalidades adequadas para cada tipo de negócio. Ou seja, não necessariamente uma empresa precisa daquele sistema que, comercialmente, é o melhor e mais caro, mesmo porque o conceito de qualidade é relativo.

Muitas vezes, incorre-se no erro de contratar um serviço sem conhecer suas características e, além disso, sem avaliar se realmente seus recursos estão alinhados às necessidades da operação, tais como:

  • Automatização dos processos mais onerosos;
  • Redução do tempo de montagem e roteirização das cargas;
  • Monitoramento da evolução dos custos com transportes;
  • Otimização dos recursos de transportes;
  • Redução dos custos e melhoria do nível de serviço;
  • Disponibilidade de informações em tempo real;
  • Indicadores e relatórios de desempenho.

Ao buscar um sistema coerente com as demandas do seu processo logístico, necessita-se ter em mente, além da relação custo-benefício, os seguintes objetivos:

  • Agilidade e desempenho;
  • Compartilhamento e integração das informações;
  • Flexibilidade e customizações;
  • Atendimento e nível de serviço.

 

  1. Excelência em Serviço

É importante observar que o gerenciamento de um serviço está diretamente ligado à perspectiva do cliente, sendo colocado à prova nas interações vivenciadas entre contratante e prestador, de tal forma que os acontecimentos poderão ter um impacto crítico sobre o serviço percebido. A partir desse ponto, o serviço pode ser caracterizado de acordo com o seu grau de qualidade.

Quando citamos serviço vinculado a um TMS, espera-se que as atividades que o norteiam sejam atendidas plenamente, tais como:

  • Suporte técnico aos usuários;
  • Equipe qualificada e motivada;
  • Implantação gerenciada;
  • Capacitação e treinamento;
  • Atendimento e comunicação.

Vale lembrar que a prestação de serviço se inicia no primeiro contato, ainda na fase de negociação comercial. As expectativas do cliente são os verdadeiros padrões para avaliar a qualidade do serviço. Compreender a natureza e os determinantes dessas expectativas é essencial para assegurar que a execução do serviço satisfaça ou supere tais aspirações.

 

  1. Gerador de Conteúdo

Além de ser um produto aderente e manter o padrão de excelência nos serviços propostos, não cabe mais ao TMS ser apenas uma ferramenta operacional, de apoio às atividades burocráticas da logística de transporte.

Não restam dúvidas de que gráficos, relatórios, dashboards e demais indicadores de desempenho são excelentes recursos para medir os resultados da área de transportes da empresa de acordo com parâmetros pré-estabelecidos.

Contudo, as informações do mercado são igualmente relevantes para análise e acompanhamento de tais indicadores, afinal a operação logística não é isolada dos demais processos e departamentos. Pelo contrário, por existirem inúmeros cenários, e estes serem totalmente dinâmicos, as análises também precisam ser pontuais e assertivas.

Um sistema de gerenciamento de fretes deve promover mudança na concepção de negócio, na análise e avaliação de alternativas, na proposta de melhorias de processos e resultados.

Isso se constrói com geração de conhecimento, por meio de conteúdos informativos:

  • Em sites e blogs, através de e-books e posts;
  • Publicação de materiais nos formatos de artigos e estudos de caso;
  • Promoção de treinamentos e capacitação;
  • Diálogos, debates e discussões sobre as melhores práticas do mercado.

Se você está buscando um TMS aderente ao processo logístico da sua empresa, pense na concepção destes fatores agregando valor ao seu negócio. Certamente, além de formar uma parceria duradoura, colherá excelentes resultados.

Continue nos acompanhando!

 

Por Claudionei de Andrade, idealizador do blog Logística na Prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *