Case Hennings: A importância do gerenciamento da cadeia logística

Notadamente a logística é citada como fonte de vantagem competitiva, pois a capacidade produtiva de um país está na dependência dessa atividade, que é responsável por direcionar todo o fluxo de insumos para a fabricação, bem como realizar a distribuição de produtos até o consumidor final.

Os produtos que trafegam desde o ponto de aquisição até o consumidor final, bem como o conjunto de informações necessárias para realizar estas movimentações, precisam ser muito bem conduzidos, a fim de garantir a velocidade e a eficácia necessária em cada operação.

O gerenciamento de transportes, um dos principais pilares da atividade logística, visa garantir maiores margens para a empresa por meio de reduções de custos e aproveitamento coerente dos ativos, bem como um apropriado nível de serviço para os clientes por conta da elevação da disponibilidade de produtos e diminuição dos tempos de entrega.

Ao terceirizar a distribuição dos seus produtos, a empresa precisa conhecer amplamente a logística do seu parceiro, afinal não é somente o custo do frete que está envolvido na negociação. Devem ser avaliadas quais as rotas utilizadas, se os prazos de entrega estão de acordo com o praticado no mercado, qual a frequência de viagens, entre outras variáveis.

O gestor de transportes deve manter-se atualizado sobre qualquer mudança neste cenário, visando enxergar oportunidades e ganhos na sua operação como um todo. Neste sentido, ações aparentemente simples podem gerar importantes resultados financeiros e operacionais.

Destaco abaixo uma das ações tomadas em nossa empresa, a Hennings Vedações Hidráulicas, que apesar de simples, gerou significativa redução de custos com transportes:

“Temos um considerável volume diário de expedição fracionada. O transportador contratado, tendo em vista seus recursos e custos envolvidos, consolida todo o volume coletado quinta e sexta-feira para formar um único embarque, pois este dia de armazenagem não lhe causa impacto negativo no prazo de entrega daquela região.

Apoiado pela logística do transportador, decidimos aderir a esta sistemática e passamos a consolidar em nosso depósito o volume que seria despachado individualmente quinta e sexta-feira, disponibilizando-o para coleta apenas na sexta-feira. Com isso, eliminamos o pagamento de um frete mínimo (emissão de quinta-feira), cuja mercadoria ficaria armazenada na transportadora.

Em simulações realizadas na Hennings, considerando um período de 10 meses, concluímos que teremos economia de 6% no valor do frete, além da otimização de processos internos (expedição, faturamento, etc.), com a garantia do prazo de entrega inalterado e a manutenção do nível de serviço”

A importância do transporte no gerenciamento da cadeia logística e a significativa participação das despesas de frete no custo total dos produtos fazem da gestão de fretes uma necessidade e um diferencial competitivo para as organizações.

A gestão eficiente da logística aplicada às organizações reflete a preocupação com a necessidade de se obter vantagem competitiva diante das transformações do mercado, onde unicamente serão recompensadas as empresas que forem capazes de agregar valor em escalas de tempo cada vez mais reduzidas.

Claudionei de Andrade
Junho, 2015

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *