Seu e-commerce está preparado para a logística reversa?

 

Muitos empreendedores, sobretudo nos negócios desenvolvidos em ambiente online, lutam para aprimorar suas operações logísticas de maneira a conseguir entregar os produtos certos para seus clientes, usando os modais de transportes mais rápidos e menos custosos para suas organizações.

Contudo, embora a maioria das lojas virtuais ofereça um excelente atendimento ao cliente, a fim de receber e organizar reclamações, críticas e opiniões diversas, nem sempre é dada a devida atenção às operações aftermarket de retorno de mercadorias, como as devoluções por causa de defeitos no produto adquirido, trocas e desistências de compra.

Continue lendo nosso post e descubra se seu e-commerce está preparado para as operações de logística reversa!

O que é logística reversa ?

Basicamente, a logística reversa corresponde a todas as estratégias e à infraestrutura montada para:

  • O bom planejamento, implementação e monitoramento da coleta daqueles produtos que foram restituídos à loja, por qualquer razão;
  • bem como a retirada ou reajuste correspondente dos recursos que entraram na empresa por conta daquela aquisição

A troca ou devolução dos produtos, geralmente, demandam que a loja virtual providencie o envio de outro item para o cliente, ou, na pior das hipóteses, lhe restitua o valor investido por meio de estornos, vale-desconto ou depósitos, dependendo da política praticada para aquele produto, departamento ou período.

 

Quais são seus impactos no negócio ?

Como a devolução de mercadorias significa uma diminuição de faturamento das empresas, já que, na maioria das vezes, elas têm de arcar com o envio de um novo produto ao cliente, o processo ligado à logística reversa é um pouco mal visto pelos donos dos negócios.

A grande questão, entretanto, é que todos os consumidores que realizam compras pela Internet, de acordo com a legislação pertinente, têm o direito de arrependimento da compra em até sete dias corridos, a contar da entrega da mercadoria em sua residência, quando enfim podem visualizar e manusear o item em questão.

Isso significa que pensar em uma estratégia logística que contempla estes custos, de maneira que possam ser gradativamente diluídos por todo o bloco de produtos e serviços da empresa, pode não só evitar prejuízos, mas ainda levantar a reputação de sua marca no mercado.

A logística reversa, portanto, deve ser vista como algo de muito benéfico para o negócio, e não como uma operação negativa.

 

Como implementar operações adequadas no setor ?

Por tudo o que foi visto, a logística reversa se manifesta não somente como incontornável em um negócio de varejo e vendas em geral, mas ainda como uma ação estratégica para que a empresa alimente uma boa imagem entre seu público-alvo, gastando o mínimo de recursos possível.

Nesse caso, o gestor precisa, antes de tudo, deixar claro e evidente, na página do seu e-commerce, quais são as regras para troca e devolução, criando uma política específica para que os clientes saibam como serão os processos de coleta, garantia e devolução de dinheiro, entre outros.

Se a coleta de produtos não for realizada em ponto determinado, é importante estudar quais são os operadores logísticos mais convenientes para cada tipo de mercadoria, bem como adotar um sistema de gestão da frota, contratação de transportes e das operações logísticas em si.

Se você tem um e-commerce, é preciso fazer os investimentos necessários e montar sua infraestrutura, a fim de evitar maiores transtornos com as operações de logística reversa e não ter dores de cabeça no futuro com a insatisfação da clientela.

Como você vem lidando com as trocas e devoluções em sua loja virtual? Ficou com alguma dúvida? Conte para a gente nos comentários!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *